19 3871 0546 / 3869 5654
casadacriancavalinhos@hiway.com.br

Sem categoria

Como proteger crianças e adolescentes do abuso e exploração sexual

Casa da Criança de Valinhos discute o tema e faz vários alertas preventivos

Em tempos de informação digital, alta tecnologia e inteligência artificial, ainda há a preocupação real e crescente com a proteção das crianças e adolescentes. No dia 18 de maio, ocorrem diversas ações para mobilizar a sociedade sobre a importância do Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Nesta semana, a Casa da Criança e do Adolescente de Valinhos divulgará a campanha “Faça Bonito – proteja as crianças e adolescentes”, que levará um alerta preventivo em prol do amparo à infância.  

A data foi instituída pela Lei Federal 9.970/00, em memória à Araceli Crespo, que aos oito anos, em 18 de maio de 1973, foi vítima de crime hediondo, que apesar da repercussão, segue impune. O objetivo é sensibilizar, informar e convocar toda a sociedade a participar da luta em defesa dos direitos das crianças e adolescentes, como previsto no Sistema de Garantia de Direitos no ECA (Lei Federal 8.069/90).

Para a Casa da Criança de Valinhos é preciso ter uma postura incisiva para acabar com a violência sexual contra meninos e meninas que ocorre por meio do abuso sexual intrafamiliar ou interpessoal como na exploração sexual.

“É preciso ter ciência que não é somente a família que deve proteger a infância e a adolescência. Toda sociedade precisa estar atenta e não se eximir da responsabilidade de denunciar qualquer tipo de maus tratos. Não podemos ser coniventes com condutas que comprometam a integridade humana, principalmente dos que ainda não podem buscar ajuda sozinhos. Cabem aos adultos superar os tabus, agir em defesa da garantia e promoção dos direitos das crianças e adolescentes, orientar e acolher sempre. Disque 100 e denuncie qualquer suspeita”, enfatiza Adriana Simões, coordenadora da Casa da Criança e do Adolescente de Valinhos.

8 Medidas preventivas e de proteção

Há diversos caminhos para proteger a infância e adolescência, com medidas preventivas ou mesmo de identificação de um possível abuso. Fique atento às situações:

  1. Acompanhar atentamente a rotina das crianças e adolescentes
  2. Negociar e monitorar os acessos à internet, nas redes sociais e sites
  3. Manter proximidade e diálogos francos, diretos e sem tabus para informar sobre todos os temas
  4. Investigar as alterações repentinas de humor: irritabilidade, crises de choro sem motivação aparente, tristeza, baixa estima ou isolamento social;
  5. Distúrbios do sono podem ser um importante indicativo: Insônia, pesadelos ou sono agitado (terror noturno) e enurese noturna (xixi na cama) são os mais comuns;
  6. Atenção aos distúrbios de alimentação: perda de apetite e até mesmo anorexia e bulimia;
  7. Alterações e dificuldades de aprendizado: queda no rendimento escolar, desinteresse repentino pelos estudos;
  8. Questões ligadas ao corpo: queixas quanto a dores estranhas, medo de ser tocado ou fixação por higiene pessoal.

Onde denunciar
– No Disque 100 ou Disque Denúncia Local;
– Conselho Tutelar;
– Polícia Civil e delegacias especializadas;
– Polícia Militar e Polícia Rodoviária Federal;
– E para crimes na Internet: new.safernet.org.br/denuncie.
Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes é crime. Denuncie!

Leia mais

V Semana da Família Acolhedora Valinhense tem programação inédita

Ilustres convidados palestram com autoridades e especialistas reconhecidos no País

Evento aberto ao público, a V Semana da Família Acolhedora Valinhense faz parte do calendário oficial do Munícipio de Valinhos. Diversas palestras e atividades serão realizadas nos dias 10, 11 e 12 de maio, em plataforma on line. Nesta quinta edição, além dos renomados palestrantes, os integrantes dos serviços de Acolhimento Familiar, de vários municípios, terão a oportunidade de trocar experiências, ampliar a divulgação do programa desenvolvido e motivar outras pessoas a atuar em suas cidades.

O amor supera todas as barreiras

Silvia Assis, valinhense atuante no programa há seis anos, contará aos participantes do evento a sua vivência em acolher crianças de diferentes personalidades e idades. Atualmente, Silvia está no oitavo acolhimento.

“Acredito que neste evento vamos compartilhar um pouco da nossa jornada, que é única com cada criança. Essa troca de amor, atenção e respeito é exclusiva e permanente em nossas vidas. Eu aprendo muito com eles, pude até rever conceitos. Tenho filhos adultos ótimos, mas hoje acredito que posso dedicar mais tempo e fazer ainda melhor por essas crianças. O amor supera todas as barreiras e dificuldades que possam surgir. Cada criança tem um espaço especial no meu coração e no coração de cada membro da minha família que também viraram tios, tias e avós”, relata Silvia Assis, membro do Serviço de Acolhimento Familiar de Valinhos.

Palestras com autoridades e especialistas reconhecidos em todo País

A V Semana da Família Acolhedora Valinhense de forma inédita reúne autoridades Valinhenses e especialistas reconhecidos como Dr Sergio Luiz Kreuz, Juiz de Direito do Tribunal de Justiça do Paraná, que fará a palestra no dia 10 de maio, às 19h20, com a tema “Os impactos do trabalho em rede para a efetividade dos Serviços de Acolhimento Familiar, e a implantação dos Serviços de Acolhimento Familiar no Brasil”. No mesmo dia, às 20h10, a co-fundadora e coordenadora do Serviço de Acolhimento Familiar Teto & Afeto de Capivari e do Grupo Capivari de Apoio à Adoção, no interior de São Paulo, Letícia Camargo, realizará a segunda palestra com o tema “Quem pode implantar um Serviço de Acolhimento Familiar?”

No terceiro dia do evento, dia 12/05, às 19h40, a equipe do Serviço de Acolhimento Familiar de Valinhos fará apresentações dos trabalhos desenvolvidos e chamará as famílias da cidade que atuam ou já atuaram para que possam relatar as experiências às famílias de outros municípios participantes do serviço e aos interessados em todo o programa. As apresentações estão na programação oficial do evento com o tema “Relatos de Experiências das Famílias Acolhedoras” de Valinhos e das Famílias Acolhedoras que compõe o Grupo de Trabalho de Serviço de Acolhimento Familiar da Região Metropolitana de Campinas e SP.

Acesso ao evento

Os interessados em participar do evento podem acessar o link disponibilizado nas redes sociais da Casa da Criança e do Adolescente de Valinhos e no site www.casadacriancadevalinhos.com.br. Para obter mais informações e confirmar o acesso, também podem solicitar o link por e-mail: familiaccava@gmail.com, através do telefone (19) 3829-3410 ou WhatsApp (19) 98367-0113.

 

CLIQUE E ACESSE ABAIXO

Link da inscrição

Link da transmissão do evento

 

V Semana da Família Acolhedora Valinhense

PROGRAMAÇÃO

 10/05   – Segunda-feira

Palestra 1

19h00  Apresentação e composição da mesa virtual

19h20  Palestra: Os impactos do trabalho em rede para a efetividade dos Serviços de Acolhimento Familiar, e a implantação dos Serviços de Acolhimento Familiar no Brasil

Palestrante: Dr Sergio Luiz Kreuz – Juiz de Direito do Tribunal de Justiça do Paraná

 Palestra 2

20h10  Quem pode implantar um Serviço de Acolhimento Familiar?

Palestrante: Letícia Camargo

Fundadora e coordenadora do Serviço de Acolhimento Familiar Teto & Afeto de Capivari e do Grupo Capivari de Apoio à Adoção, no interior de São Paulo.

21h00  Abertura para perguntas

21h30  Encerramento

 11/05   – Terça-feira

Apresentação Oficial da V Semana da Família Acolhedora Valinhense

19h00  Apresentação Oficial com autoridades da cidade e representantes, responsáveis da Casa da Criança de Valinhos – Serviço de Acolhimento Familiar

Local: Tribuna da Câmara dos Vereadores

 12/05 – Quarta-feira

19h00  Apresentação do Serviço de Acolhimento de Valinhos

ENCONTRO REGIONAL

Silvana Mara Miranda – Coordenadora do Serviço de Acolhimento Familiar de Valinhos

19h40  Apresentação do Serviço de Acolhimento de Valinhos e Relatos de Experiências das Famílias Acolhedoras de Valinhos e das Famílias Acolhedoras que compõe o GT de Serviços de Acolhimento Familiar da Região Metropolitana de Campinas e SP 

21h00  Abertura para perguntas

21h30  Encerramento

Leia mais

A arte como uma janela aberta para a vida

“Uma infância sem arte e proteção seria viver um tempo muito triste e arriscado”

“Uma infância sem arte e proteção seria viver um tempo muito triste e arriscado”, relata Jéssica Santos, estudante do último ano de Ciências Contábeis, que teve a oportunidade de frequentar as oficinas de arte, entre outras atividades no Projeto Janela Aberta, da Casa da Criança e do Adolescente de Valinhos. Com dezenas de oficinas como canto, violão, capoeira, pintura em tela, inglês e tecnologia, a instituição oferece à comunidade a chance de desenvolver habilidades, ampliar o conhecimento e a cidadania para mais de 150 inscritos por ano.

Com 12 anos de vivência profissional no campo da arte, a professora Maria Helena Dias Paes, que também é psicóloga de formação, ministra oficinas de pintura em tela na Casa da Criança e no Centro Cultural, ambas atuações são realizadas pela Secretária de Cultura de Valinhos. Com objetivo de ensinar a pintar e a sensibilizar as pessoas por meio da arte, as aulas já foram realizadas para mais de mil pessoas.

Criatividade individual 

Para Maria Helena, o conceito da pintura vai além da composição de cores, elementos geométricos, figurativos e da natureza. As imagens referenciais podem ser captadas de forma particular para cada pessoa. “A criatividade individual revela muito da complexidade da personalidade, do inconsciente e pode ser uma grande aliada na arte e na vida. Identifico isso em cada aluno, durante as aulas e também depois, há relatos emocionantes dos benefícios da prática da pintura na vida de alunos, mesmo após anos do aprendizado. Recomendo que todos possam descobrir por meio da arte o vasto universo que se abre e contribui definitivamente para toda a nossa existência, sobretudo em tempos de adversidades que estamos vivenciando com a pandemia”, explica a professora.

Protegidos, longe das ruas

Após mais de quatro anos de atividades no Janela Aberta, Jessica Santos registra em detalhes as suas experiências no projeto e os benefícios presentes até hoje na sua vida.

“Eu e meus irmãos tivemos a possibilidade de contar com as oficinas no Janela Aberta, o que fez toda diferença em nossas vidas, pois minha mãe sempre trabalhou duro o dia inteiro, sozinha garantia o sustento da família. A nossa infância foi marcada pelas oficinas de arte, pintura, teatro, música e tantas outras atividades que reforçavam bons valores e ética. Na Casa da Criança estivemos protegidos, longe das ruas, da violência e das drogas. Foi no Janela também que me entusiasmei pela pintura em tela, com a professora Maria Helena. Guardo até hoje os quadros que produzi e principalmente todo carinho, amor e respeito que recebi. Agora, prestes a concluir a faculdade, trabalhando, sigo apoiando a minha mãe com as contas de casa, e penso em me especializar, quem sabe, em auditoria e um dia voltar a pintar quadros também. Caso pudesse, diria às crianças e aos adolescentes para aproveitar cada segundo nas atividades da instituição. Sinto saudades e gratidão pelas oportunidades”, conta a estudante.

O Projeto Janela Aberta e Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos são realizados em parceria com a Secretaria de Municipal de Assistência Social, a Secretaria de Cultura e a Secretaria Municipal de Esportes. Atualmente, seguem com atividades remotas para as crianças, com vídeos interativos, como o “Jornal do Janela” e o “Diário de Bordo” contendo atividades impressas como palavras cruzadas, desafios de identificação de imagens de integrantes do programa, jogos de conscientização para os cuidados com a saúde, boas maneiras, autorretrato, informação sobre direitos das crianças e dos adolescentes. Os inscritos recebem o material e devolvem preenchido para ganhar novos diários.    

Para apoiar os projetos da Casa da Criança de Valinhos ligue 19 3871-0546 

Leia mais

Adolescentes e as redes sociais

Por Gabriel de Sousa Vieira

CRP 06/140207

Psicólogo do Acolhimento da Casa da Criança de Valinhos

As redes sociais são uma realidade entre os adolescentes, e lidar com esta questão é um desafio para pais e educadores. Com o início da pandemia, isto se tornou ainda maior, pois o convívio virtual tomou o lugar do convívio real, por conta da necessidade de distanciamento social e das restrições de circulação. No contexto de um serviço de acolhimento institucional, não é diferente. As crianças e adolescentes fazem uso dos eletrônicos – televisão, computador, videogame, celular – e as regras de utilização são adaptadas ao contexto de uso coletivo de um abrigo.

Primeiramente, seja na realidade institucional ou em qualquer outro cenário, é importante respeitar a faixa etária e o grau de maturidade de cada criança. É importante avaliar como elas relacionam no mundo real, isto dá indícios de como irão se comportar no mundo virtual. Independentemente da faixa etária, a falta de maturidade pode acarretar no uso inadequado dos recursos digitais, além de expor as crianças a riscos comuns a este ambiente.

Privacidade e acompanhamento

Por isso a necessidade de monitorar, e é possível fazer isto sem invadir a privacidade das crianças. No serviço de acolhimento, a equipe de educadores é orientada a fazer uma aproximação saudável do universo das crianças e adolescentes. Através do vínculo afetivo, conversar e procurar saberem o que elas fazer no computador, quais jogos gostam, com quem conversam. Quando o vínculo é estabelecido, isto passa a acontecer de forma natural.

Um tema que sempre gera conflito é o tempo de uso. Alguns especialistas dizem que o “tempo de tela” para crianças deve ser restrito a uma hora por dia, outros, três horas, alguns acham que pode se estender mais. Não há um consenso, porém, é um fato de que o uso dos eletrônicos deve ser combinado com a realização de outras atividades, e sempre após a realização das obrigações de cada um. Primeiro as tarefas escolares e a organização dos pertences pessoais, depois as atividades de lazer, sempre alternando o uso de eletrônicos com a leitura, os jogos coletivos, as atividades laborais, etc.

No serviço de acolhimento esta divisão do tempo ainda mais importante, visto que as crianças devem compartilhar os aparelhos com seus colegas. Esta tarefa nem sempre é fácil, mas sempre são incentivados a buscar a solução para a organização do tempo sozinhos, discutindo entre si, assim, desenvolvem a autonomia e a capacidade de resolução de conflitos.

Lidar com esta questão é um desafio, mas esta é a realidade, e precisamos buscar recursos para lidar com estes desafios. Que possamos superar esta pandemia, para podermos voltar a dividir o convívio virtual com o real.

Leia mais

V Semana da Família Acolhedora Valinhense apresenta temáticas inéditas no País

Evento oficial da cidade reúne autoridades e especialistas de diversos municípios

Garantido no calendário oficial do Munícipio de Valinhos, por meio da Lei 5429/2017, a V Semana da Família Acolhedora Valinhense apresenta programação inédita, com convidados especiais presentes nos dias 10, 11 e 12 de maio. O evento será transmitido on line, garantindo a participação de todos os interessados no tema que envolve a cidade e região. A apresentação oficial será na Tribuna da Câmara dos Vereadores, no dia 11 de maio, às 19h, com a participação de autoridades valinhenses e representantes da Casa da Criança de Valinhos, responsáveis pela atuação do Serviço de Acolhimento Familiar do município.

O evento conta com a participação de autoridades Valinhenses e referências nacionais como Dr Sergio Luiz Kreuz, Juiz de Direito do Tribunal de Justiça do Paraná, que fará a palestra no dia 10 de maio, às 19h20, com a temática “Os impactos do trabalho em rede para a efetividade dos Serviços de Acolhimento Familiar, e a implantação dos Serviços de Acolhimento Familiar no Brasil”. No mesmo dia, às 20h10, a co-fundadora e coordenadora do Serviço de Acolhimento Familiar Teto & Afeto de Capivari e do Grupo Capivari de Apoio à Adoção, no interior de São Paulo, Letícia Camargo, ministrará a segunda palestra com o tema “Quem pode implantar um Serviço de Acolhimento Familiar?”

No terceiro dia do evento (12/05, às 19h40), reservado ao serviço de acolhimento Familiar de Valinhos, serão apresentados os trabalhos desenvolvidos, com espaço garantido às famílias da cidade que atuam ou já atuaram com o objetivo de realizar trocas de vivências com famílias de outros municípios participantes do serviço. Neste momento, ocorrerá a apresentação de “Relatos de Experiências das Famílias Acolhedoras” de Valinhos e das Famílias Acolhedoras que compõe o Grupo de Trabalho de Serviço de Acolhimento Familiar da Região Metropolitana de Campinas e SP.

 

Grupo de Trabalho Regional de Serviços Família Acolhedora

O Serviço Família Acolhedora Travessia, do município de Jundiaí, referência na região, fará uma participação com relatos sobre as experiências e atuação reconhecida no Serviço de Acolhimento Familiar.

“Consideramos muito interessante a troca de saberes e experiências, que já vem ocorrendo entre os técnicos, no Grupo de Trabalho Regional de Serviços Família Acolhedora, do qual ambos os serviços fazem parte. A iniciativa do município de Valinhos certamente contribuirá para fortalecer o acolhimento familiar como política pública, tão imprescindível para o cuidado de nossas crianças e adolescentes”, relata Luci Mara Garcez Marin, psicóloga, coordenadora do Serviço Família Acolhedora de Jundiaí.

 

Garanta a sua presença

Os interessados em participar do evento podem acessar o link disponibilizado nas redes sociais da Casa da Criança e do Adolescente de Valinhos e no site www.casadacriancadevalinhos.com.br. Para obter mais informações e confirmar o acesso, também podem solicitar o link por e-mail: familiaccava@gmail.com, através do telefone (19) 3829-3410 ou WhatsApp (19) 98367-0113.

Link da inscrição:

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSfQL_WAtnCccBZTKRMgXKZHddkw-FZ6_YDCQJVblKODBhKYSg/viewform?vc=0&c=0&w=1&flr=0&gxids=7628

 

PROGRAMAÇÃO

V Semana da Família Acolhedora Valinhense

10/05   – Segunda-feira

Palestra 1

19h00  Apresentação e composição da mesa virtual

19h20  Palestra: Os impactos do trabalho em rede para a efetividade dos Serviços de Acolhimento Familiar, e a implantação dos Serviços de Acolhimento Familiar no Brasil

Palestrante: Dr Sergio Luiz Kreuz – Juiz de Direito do Tribunal de Justiça do Paraná

 

Palestra 2

20h10  Quem pode implantar um Serviço de Acolhimento Familiar?

Palestrante: Letícia Camargo

Fundadora e coordenadora do Serviço de Acolhimento Familiar Teto & Afeto de Capivari e do Grupo Capivari de Apoio à Adoção, no interior de São Paulo.

21h00  Abertura para perguntas

21h30  Encerramento

 

11/05   – Terça-feira

Apresentação Oficial da V Semana da Família Acolhedora Valinhense

19h00  Apresentação Oficial com autoridades da cidade e representantes, responsáveis da Casa da Criança de Valinhos – Serviço de Acolhimento Familiar

Local: Tribuna da Câmara dos Vereadores

 

12/05 – Quarta-feira

19h00  Apresentação do Serviço de Acolhimento de Valinhos

ENCONTRO REGIONAL

Silvana Mara Miranda – Coordenadora do Serviço de Acolhimento Familiar de Valinhos

19h40  Apresentação do Serviço de Acolhimento de Valinhos e Relatos de Experiências das Famílias Acolhedoras de Valinhos e das Famílias Acolhedoras que compõe o GT de Serviços de Acolhimento Familiar da Região Metropolitana de Campinas e SP 

21h00  Abertura para perguntas

21h30  Encerramento

 

Leia mais

Brincadeira do tempo dos pais e avós é o novo desafio para as crianças

Casa da Criança aposta na diversão garantida com brincadeiras que passam de geração em geração

 

Como prender a atenção das crianças em tempos de isolamento social, sem mergulhar no mundo digital o tempo todo? Esse foi o desafio lançado pela equipe do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos da Casa da Criança de Valinhos, em parceria com a Secretaria de Assistência Social de Valinhos.  Neste mês de abril, os educadores do projeto Janela Aberta apresentam a proposta de resgate de brincadeiras tradicionais, do tempo dos pais e avós. Com atividades remotas, enviadas em diários impressos e vídeos ensinando cada brincadeira, a instituição espera alcançar não somente os assistidos, mas também todas as crianças que toparem entrar neste desafio.

Serão diferentes propostas semanais, que vão apresentar brincadeiras como: amarelinha, pular corda, cama de gato, pega-pega, entre outras. Para mobilizar a cidade, a instituição propõe que todos entrem na brincadeira postando vídeos nas redes sociais, marcando a Casa da Criança de Valinhos com a #brincadeiradafamiliadacasadacrianca.

Para a Casa da Criança, a proposta poderá render momentos de união inesquecíveis para as famílias. Assim como lembra a diretora da instituição, Wanda Dini. “A minha infância foi marcada por brincadeiras tradicionais como pular corda, jogo de gato, amarelinha, cabeça de batata e a família participava com alegria e isso ninguém pode esquecer. As nossas crianças de hoje também podem descobrir um universo mágico, que independentemente do tempo desperta o interesse quando se brinca com quem a gente gosta. Sabemos que quando há sentimentos bons envolvidos a brincadeira se perpetua na memória das pessoas”, relata Wanda.

O Projeto Janela aberta informa que o objetivo da ação é resgatar as brincadeiras populares em família, para interagir com as crianças de forma orgânica, sem a interferência da tecnologia. “Vemos um mundo com uma infinidade de recursos digitais, tecnológicos, tentadores para todos, porém sabemos que nem todos têm os mesmos acessos, e até para quem tem a possibilidade de utilizar todas as inovações os excessos de estímulos artificiais são prejudiciais, imagina para as crianças. Assim lançamos este desafio para que as crianças possam perguntar aos adultos como eles se divertiam quando criança e dividir com a gente o que descobriram de brincadeiras antigas e, quem sabe, adaptá-las para se divertir em casa, com a família, nestes tempos de quarentena. Será muito divertido”, conta Lidiane Recco, coordenadora do Janela Aberta.   

Alguns jogos como cinco marias, jogo da memória, jogo da velha e cabeça de batata (batata quente) podem ser adquiridos na loja virtual do grupo de voluntárias Margaridas. O site da loja virtual das Margaridas estará disponível no perfil (BIO) do Instagram da Casa da Criança, somente neste mês de brincadeiras antigas.

Os interessados em apoiar os projetos da Casa da Criança de Valinhos podem entrar em contato pelo telefone 19 3871-0546 e acessar o site casadacriancadevalinhos.org.br.

Leia mais

Páscoa também é sinônimo de solidariedade

Morador de Valinhos doa à Casa da Criança ovos com mensagens personalizadas

Um gesto de solidariedade pode marcar positivamente a vida das pessoas. Foi pensando nisso que Rodrigo Teixeira, engenheiro, morador de Valinhos, decidiu com sua família escrever bilhetes com mensagens personalizadas a serem entregues com alguns ovos de Páscoa à Casa da Criança de Valinhos.

A instituição foi apresentada por amigos. Na sequência, Rodrigo, que mora há pouco tempo na cidade, foi pesquisar as informações e ficou surpreso com a história e atuação da Casa da Criança na cidade, além do reconhecimento por meio também de selos e prêmios nacionais, atestando a idoneidade dos trabalhos desenvolvidos.

Para Rodrigo, a ideia principal do gesto é mobilizar a família, educar e conscientizar a importância da empatia e da cidadania. “Nossos três filhos ficaram muito animados com a ideia de escolher ovos de Páscoa, comprar, escrever cartinhas com o nome de cada criança, doar a uma instituição tão próxima da gente, que cuida da nossa comunidade. Eles fizeram questão de escrever pessoalmente cada bilhete, colocando os nomes das crianças, como se estivessem escrevendo a um amigo próximo. Assim assinaram sinalizando que era somente um carinho dos amigos Isabela, Clara e Lorenzo. Mesmo que a doação seja simbólica, sem qualquer interesse próprio, o importante é conscientizar e plantar o bem, motivar a solidariedade para que possam agir assim a vida inteira. Acreditamos que cada um fazendo um pouco, juntos a sociedade poderá fazer muito mais”, relata o apoiador da Casa da Criança.

 

 

 

 

 

 

 

 

Para Anélio Zanuchi, fundador da instituição, essa doação da família Teixeira o fez lembrar de uma experiência pessoal muito tocante, de décadas atrás. “Eu estava num supermercado aqui em Valinhos fazendo minhas compras, quando de repente uma senhora me chamou pelo nome. Eu olhei e me lembrei daquela senhora, pois todas as famílias eram cadastradas. Ela estava com a filha dela, que aparentava ter pouco mais de 30 anos, e me perguntou se eu sabia quem era ela. Logicamente, não me lembrei. Aquela moça veio ao meu encontro, me deu um abraço apertado e começou a chorar, e me disse: olha, eu rezo todos os dias pro senhor há mais de 30 anos. Eu tava doente por causa daquele ovo da Xuxa e o senhor me deu naquele sábado, véspera do Domingo de Páscoa. Jamais me esqueci do senhor. Meu eterno muito obrigado. Eu também nunca vou me esquecer dessa família”, recordou.

A instituição destaca que normalmente as pessoas podem apoiar os trabalhos desenvolvidos de várias formas, durante as campanhas, eventos, doando suas horas como voluntários, produtos, dinheiro e serviços. Neste momento, as ações estão restritas e adaptadas à pandemia. A Casa da Criança informa que segue contando com o apoio de todos para oferecer suporte emocional e financeiro, garantindo a qualidade dos atendimentos realizados.

“Agradecemos muito essa doação do Rodrigo Teixeira, da sua família e de outros doadores que também quiseram oferecer um carinho a mais nessa Páscoa às nossas crianças. São gestos muito significativos e acolhedores. Sabemos que as ações de envolvimento tocam muito o lado solidário. Nosso muito obrigado também ao apoio de todos que colaboraram na campanha do “Bolo de Páscoa”. Neste momento tão delicado e importante que o mundo vivencia precisamos contar com a solidariedade para superar juntos mais esta fase. Desejamos uma ótima Páscoa a todas as famílias, com boas reflexões e cuidados com a saúde. Esperamos em breve estar todos cada vez melhores e ainda mais unidos.”, salienta Adriana Simões, coordenadora da Casa da Criança.

Os interessados em apoiar os projetos da Casa da Criança de Valinhos podem entrar em contato pelo telefone 19 3871-0546, acessar o site casadacriancadevalinhos.org.br e realizar doações via PIX com a chave: 546983030001.

Leia mais

Família Acolhedora – Uma missão de amor e de cidadania

Anélio Zanuchi destaca a importância da Família Acolhedora  

Com seis anos de atuação, o serviço Família Acolhedora de Valinhos ressalta a importância de ampliar o cadastro de novos integrantes para atuar na cidade. A Casa da Criança e do Adolescente de Valinhos, responsável pelo projeto, em parceria com a Secretaria Municipal de Assistência Social, relata demandas constantes e conta com o apoio de famílias da cidade.

Valinhos, que há décadas já apresentava demandas deste tipo de atuação, contou com intensas pesquisas para formatar o projeto e a aplicação, conforme lei vigente no País. Apesar da Lei 12.010/2009, que dispõe sobre o aperfeiçoamento da sistemática prevista para garantia do direito à convivência familiar a todas as crianças e adolescentes, segundo o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), o Brasil registra cerca de 48 mil crianças e adolescentes acolhidos, por estarem afastados temporariamente de suas famílias, e menos de 5% estão em famílias acolhedoras. Em Valinhos, a proporção também não se distancia destes dados.

 Vai mudar a sua vida

Para Anélio Zanuchi, fundador da Casa da Criança e do Adolescente de Valinhos, o acolhimento familiar sempre foi necessário. Após muito trabalho, luta e apoio voluntário de pessoas como o Dr. Eduardo Garcia de Lima conseguimos instituir o Família Acolhedora em Valinhos. A família do nosso diretor José Narciso Sturaro, foi a primeira a experimentar a gratificante tarefa de acolher uma criança no seu lar. Atuar neste programa é cumprir uma missão de amor e de cidadania. Precisamos somente deste propósito sincero de fazer a diferença positiva na vida de outra pessoa e a sua também será tocada de forma incrível”.

No projeto desde a idealização, Denise Foratto conta que conhecia e se emocionava com a demanda da cidade. Foi uma das primeiras pessoas a realizar a capacitação no Serviço Família Acolhedora e a receber crianças em casa. “As crianças chegaram em dezembro de 2015, como presentes de Natal. Eu, que até então morava sozinha, tinha tudo metodicamente organizado em casa, ganhei vidas, alegria e movimento no meu lar. Pude me descobrir como uma boa família acolhedora. Acordando à noite, cuidando da saúde, correndo para atendimentos médicos, terapias e assumindo todos os cuidados necessários.

“Nossas vidas ficaram imensamente mais felizes”

Denise conta que recebeu apoio de amigos e familiares, já acolheu três crianças, uma delas com dois anos, estava com diagnóstico de deficiência permanente, com cuidados, descobriram que se tratava de uma criança sem qualquer deficiência intelectual ou física. “Atualmente, a criança está com sua família estendida, a nossa relação foi intensa, e todos me consideram como uma espécie de madrinha. Com ou sem contato com os acolhidos, o meu sentimento é de amor incondicional, é direito deles seguirem a vida com suas famílias. Sei que pude contribuir com um capítulo essencial da história deles, e nossas vidas ficaram imensamente mais felizes. Esta certeza é o mais importante. Recomendo a todos essa inesquecível experiência”, relata Denise Foratto.

O Serviço Família Acolhedora atua para capacitar os interessados, realiza acompanhamento integral e apoio 24 horas, com uma equipe coordenada com profissionais especializados, com psicóloga, assistente social e toda estrutura necessária para o funcionamento na cidade.

Os interessados em se tornar Família Acolhedora podem obter mais informações, acessando o site www.casadacriancadevalinhos.com.br , podem registrar o interesse em se inscrever nas capacitações por meio do e-mail:  familiaccava@gmail.com ou através do telefone (19) 3829-3410 ou pelo WhatsApp (19)98367.0113.

Leia mais

Atividades inovadoras com vídeos interativos encantam crianças e até adultos

Janela Aberta amplia envolvimento com atividades digitais bem-humoradas

 

Novas atividades virtuais movimentam a relação dos educadores da Casa da Criança com os inscritos no programa Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos do Janela Aberta. Desde o início da pandemia, a instituição realizou adaptações para manter o contato com os assistidos, mesmo a distância. Neste ano, a equipe inovou a proposta de aplicação de conteúdo com interatividade constante.

A Casa da Criança avança nos conteúdos aplicados para garantir a aproximação das crianças e adolescentes durante o processo de transição das atividades à distância para uma programação presencial. Os inscritos recebem atividades desenvolvidas especialmente para envolvê-los nos projetos, antes pensados em aplicação somente dentro da instituição. O programa atua em parceria com a Secretaria de Assistência Social, de Esporte, Cultura e Turismo.

Vídeos animados

A novidade deste semestre fica por conta dos vídeos animados produzidos pelos educadores, conforme conta Wilson Zanata, arte educador, contratado durante a pandemia para atuar nas frentes interativas e criativas do projeto.

“Ingressar com atividades remotas e inovadoras no meio da pandemia foi um desafio enorme, mas não menos motivador. Essa geração é muito inteligente, rápida e exigente. Conquistamos a confiança das crianças e adolescentes, aplicamos conteúdos dinâmicos, lúdicos e divertidos também. Logo as respostas começaram a chegar por meio de mensagens escritas, depois áudios e agora já contamos com vídeos deles para o nosso novíssimo “Jornal do Janela”, feito para eles, e o melhor, com a participação direta das crianças. Percebemos que o benefício é para toda a família”, explica o arte educador.

Formado em publicidade, artes cênicas e recreação, com experiência de mais de 10 anos como educador em instituições voltadas para criança e adolescentes, Wilson Zanata reconhece que a transição da rotina do preparo das atividades requer muito trabalho, zelo e criatividade. As atividades podem ser acompanhadas nas mídias sociais e no Youtube da instituição.       https://www.youtube.com/channel/UCXFcQrDtqkvG3DhmpdZ1dwQ

“Agora, já estamos nos preparando para a retomada presencial, adaptadas com todo protocolo de segurança para garantir a saúde de todos. Sabemos que toda mudança carrega a ansiedade e os receios individuais e coletivos, e com as crianças e adolescentes isso fica ainda mais latente. Mais que nunca adotamos ações de escuta, acolhimento e conscientização. Estamos aplicando todo cuidado para que eles possam assimilar esse novo cenário da forma mais positiva possível”, conclui Zanata.

Outro trabalho desenvolvido para os inscritos no Janela Aberta é o “Diário de Bordo” contendo atividades impressas como palavras cruzadas, desafios de identificação de imagens de integrantes do programa, jogos de conscientização para os cuidados com a saúde, boas maneiras, autorretrato, informação sobre direitos das crianças e dos adolescentes. Os inscritos recebem o material e devolvem preenchido para ganhar novos diários.

A instituição informa que ainda não há uma data prevista para o início das atividades presenciais, mas estão preparados com um protocolo de ações para proteger os assistidos e os colaboradores durante o período da pandemia, mesmo após a vacinação. Entre as ações destacam a instalação de dispensadores de álcool em gel, o uso constante de máscara, sinalização no chão para garantir o distanciamento e rodizio de turmas e horários programados. Para apoiar os projetos da Casa da Criança de Valinhos ligue 19 3871-0546 

Leia mais

Casa da Criança garante um Natal feliz

Comemorações diferentes com segurança e responsabilidade

Como medida de segurança e obedecendo o distanciamento social, imposto pela pandemia, as comemorações da Casa da Criança foram adaptadas.

As crianças acolhidas no abrigo receberão presentes e uma ceia na noite de Natal. Elas serão acompanhadas pelos educadores, com uma programação especial.

Os inscritos no Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos vão receber uma ceia de Natal para que possa ser feita em casa, incluindo também sugestões de receitas como: frango recheado com farofa, salada de maionese, arroz, massa (macarronada com atum), de sobremesa inclui gelatina com creme e leite, panetone recheado (incluso, pronto para servir) e uma caixa de bombom. Os itens da ceia foram arrecadados com apoiadores e parceiros da instituição.

Na segunda-feira (dia 21), um voluntário atuando como Papai Noel realizará as entregas programadas aos inscritos no Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos. Na terça-feira (dia 22) serão realizadas as entregas agendadas para os inscritos nas oficinas do Janela Aberta. Todas as crianças matriculadas nas oficinas ganharão um presente de Natal (não incluindo a ceia).

As crianças integradas ao serviço Família Acolhedora também receberão um presente e passarão a noite de Natal conforme a programação de cada família.

Todas as ações foram cuidadosamente programadas pelas equipes da instituição, dentro dos protocolos de segurança e serão monitoradas pelos responsáveis de cada programa da Casa da Criança de Valinhos.

Para apoiar os projetos da Casa da Criança de Valinhos ligue 19 3871-0546, acesse a campanha vaquinha solidária no site da ONG ou diretamente no link

https://www.vakinha.com.br/vaquinha/quarentenasolidariadacasasegundaedicao

 

Leia mais